Guia de Comandos


Guia de comandos linux baseado no Guia Foca



Todas as categorias

Página:  1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos

COMANDOS DE REDE

dnsdomainname

Mostra o nome do domínio de seu sistema.

finger

Mostra detalhes sobre os usuários de um sistema. Algumas versões do finger possuem bugs e podem significar um risco para a segurança do sistema. É recomendado desativar este serviço na máquina local.

finger [usuário] [usuário@host]

Onde:

usuário

Nome do usuário que deseja obter detalhes do sistema. Se não for digitado o nome de usuário, o sistema mostra detalhes de todos os usuários conectados no momento.

usuário@host

Nome do usuário e endereço do computador que deseja obter detalhes.

-l

Mostra os detalhes de todos os usuários conectados no momento. Entre os detalhes, estão incluídos o nome do interpretador de comandos (shell) do usuário, diretório home, nome do usuário, endereço, etc. Estes dados são lidos de /etc/passwd.

-p

Não exibe o conteúdo dos arquivos .plan e .project

Se for usado sem parâmetros, mostra os dados de todos os usuários conectados atualmente ao seu sistema.

Exemplo: finger, finger root.

ftp

Permite a transferência de arquivos do computador remoto/local e vice versa. O file transfer protocol é o sistema de transmissão de arquivos mais usado na Internet. É requerida a autenticação do usuário para que seja permitida a conexão. Muitos servidores ftp disponibilizam acesso anônimo aos usuários, com acesso restrito.

Uma vez conectado a um servidor ftp, você pode usar a maioria dos comandos do GNU/Linux para operá-lo.

ftp [ip/dns]

Abaixo alguns dos comandos mais usados no FTP:

ls

Lista arquivos do diretório atual.

cd [diretório]

Entra em um diretório.

get [arquivo]

Copia um arquivo do servidor ftp para o computador local. O arquivo é gravado, por padrão, no diretório onde o programa ftp foi executado.

hash [on/off]

Por padrão esta opção está desligada. Quando ligada, faz com que o caracter "#" seja impresso na tela indicando o progresso do download.

mget [arquivos]

Semelhante ao get, mas pode copiar diversos arquivos e permite o uso de curingas.

send [arquivo]

Envia um arquivo para o diretório atual do servidor FTP (você precisa de uma conta com acesso a gravação para fazer isto).

prompt [on/off]

Ativa ou desativa a pergunta para a cópia de arquivo. Se estiver como off assume sim para qualquer pergunta.

Exemplo: ftp ftp.debian.org.

hostname

Mostra ou muda o nome de seu computador na rede.

netstat

Mostra conexões de rede, tabela de roteamento, estatísticas de interfaces, conexões masquerade, e mensagens.

netstat [opções]

Onde:

opções
-i [interface]

Mostra estatísticas da interface [interface].

-M, --masquerade

Se especificado, também lista conexões masquerade.

-n, --numeric

Usa endereços numéricos ao invés de tentar resolver nomes de hosts, usuários e portas.

-c, --continuous

Mostra a listagem a cada segundo até que a CTRL+C seja pressionado.

-l

Lista sockets aguardando por conexão.

-t, --tcp

Lista conexões TCP.

-u, --udp

Lista conexões UDP.

Se não for especificada nenhuma opção, os detalhes das conexões atuais serão mostrados.

Exemplos: netstat -n, netstat -lt, netstat -M.


ping

Verifica se um computador está disponível na rede. Este comando é muito utilizado por alguns programas de conexão e administradores para verificar se uma determinada máquina está conectada na rede e também para verificar o tempo de resposta de cada máquina da rede. O ping envia pacotes ICMS ECHO_REQUEST para um computador, este quando recebe o pacote envia uma resposta ao endereço de origem avisando que está disponível na rede.

ping [opções][IP/DNS]

onde:

IP/dns

Endereço IP ou nome DNS do endereço.

opções
-c [num]

Envia num pacotes ao computador de destino.

-f

Flood ping. Envia novos pacotes antes de receber a resposta do pacote anterior. Para cada requisição enviada, um "." é mostrado na tela e para cada resposta recebida, um backspace é mostrado. Somente o usuário root pode utilizar esta opção e pode te auxiliar muito na detecção de erros de transmissão de pacotes em interfaces das máquinas em sua rede.

-i [seg]

Aguarda [seg] segundos antes de enviar cada pacote.

-q

Não mostra as requisições enquanto são enviadas, somente mostra as linhas de sumário no inicio e término do programa.

-s [tamanho]

Especifica o tamanho do pacote que será enviado.

-v, --verbose

Saída detalhada, tanto os pacotes enviados como recebidos são listados.

Exemplo: ping 192.168.1.1, ping www.debian.org.

rlogin

Executa um login em uma máquina local ou remota.

rlogin [opções] [IP/DNS]

onde:

IP/DNS

Endereço IP ou DNS do computador que será acessado.

opções
-l [nome]

Entra com o user id [nome] no sistema.

rlogin é usado para executar comandos interativamente no computador de destino (como se você estivesse sentado diante dele, muito semelhante ao telnet)

rsh

Executa um comando em um computador local ou remoto.

rsh [opções] [IP/DNS] [comando]

Onde:

IP/DNS

Endereço IP ou nome DNS do computador.

comando

Comando que será executado no computador local/remoto.

opções
-l [nome]

Entra no sistema usando o login [nome].

rsh é usado somente para executar comandos.

talk

Inicia conversa com outro usuário de sistema em uma rede local ou Internet. Talk é um programa de conversação em tempo real onde uma pessoa vê o que a outra escreve.

talk [usuário] [tty]

ou

talk [usuário@host]

Onde:

usuário

Nome de login do usuário que deseja iniciar a conversação. Este nome pode ser obtido com o comando who (veja who, Seção 11.1).

tty

O nome de terminal onde o usuário está conectado, para iniciar uma conexão local.

usuário@host

Se o usuário que deseja conversar estiver conectado em um computador remoto, você deve usar o nome do usuário@hosname do computador.

Após o talk ser iniciado, ele verificará se o usuário pode receber mensagens, em caso positivo, ele enviará uma mensagem ao usuário dizendo como responder ao seu pedido de conversa. Veja who, Seção 11.1.

Para poder fazer a rolagem para cima e para baixo no talk, pressione CTRL+P(Previous - Tela anterior) e CTRL+N (Next - Próxima tela). Você deve ter o daemon do talk instalado (talkd) para receber requisições de conversa.

Você deve autorizar o recebimento de talks de outros usuários para que eles possam se comunicar com você , para detalhes veja o comando mesg, Seção 10.19.

telnet

Permite acesso a um computador remoto. É mostrada uma tela de acesso correspondente ao computador local onde deve ser feita a autenticação do usuário para entrar no sistema. Muito útil, mas deve ser tomado cuidados ao disponibilizar este serviço para evitar riscos de segurança e usado o ssh sempre que possível por ser um protocolo criptografado e com recursos avançados de segurança.

telnet [opções] [ip/dns] [porta]

onde:

ip/dns

Endereço IP do computador de destino ou nome DNS.

porta

Porta onde será feita a conexão. Por padrão, a conexão é feita na porta 23.

opções
-8

Requisita uma operação binária de 8 bits. Isto força a operação em modo binário para envio e recebimento. Por padrão, telnet não usa 8 bits.

-a

Tenta um login automático, enviando o nome do usuário lido da variável de ambiente USER.

-d

Ativa o modo de debug.

-r

Ativa a emulação de rlogin.

-l [usuário]

Faz a conexão usando [usuário] como nome de usuário.

Exemplo: telnet 192.168.1.1, telnet 192.168.1.1 23.


Página:  1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos