Guia de Comandos


Guia de comandos linux baseado no Guia Foca



Navegar usando este índice

Especial | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Todos

Página: (Anterior)   1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos

T

tac

Mostra o conteúdo de um arquivo binário ou texto (como o cat) só que em ordem inversa.

tac [opções] [diretório/arquivo] [diretório1/arquivo1]

diretório/arquivo

Localização do arquivo que deseja visualizar o conteúdo

opções
-s [string]

Usa o [string] como separador de registros.

-

Lê a entrada padrão.

Exemplo: tac /usr/doc/copyright/GPL.

tail

Mostra as linhas finais de um arquivo texto.

tail [opções]

Onde:

-c [numero]

Mostra o [numero] de bytes do final do arquivo.

-n [numero]

Mostra o [numero] de linhas do final do arquivo.

-f

Mostra continuamente linhas adicionadas no final do arquivo.

Exemplos: tail teste.txt, tail -n 20 teste.txt.

talk

Inicia conversa com outro usuário de sistema em uma rede local ou Internet. Talk é um programa de conversação em tempo real onde uma pessoa vê o que a outra escreve.

talk [usuário] [tty]

ou

talk [usuário@host]

Onde:

usuário

Nome de login do usuário que deseja iniciar a conversação. Este nome pode ser obtido com o comando who (veja who, Seção 11.1).

tty

O nome de terminal onde o usuário está conectado, para iniciar uma conexão local.

usuário@host

Se o usuário que deseja conversar estiver conectado em um computador remoto, você deve usar o nome do usuário@hosname do computador.

Após o talk ser iniciado, ele verificará se o usuário pode receber mensagens, em caso positivo, ele enviará uma mensagem ao usuário dizendo como responder ao seu pedido de conversa. Veja who, Seção 11.1.

Para poder fazer a rolagem para cima e para baixo no talk, pressione CTRL+P(Previous - Tela anterior) e CTRL+N (Next - Próxima tela). Você deve ter o daemon do talk instalado (talkd) para receber requisições de conversa.

Você deve autorizar o recebimento de talks de outros usuários para que eles possam se comunicar com você , para detalhes veja o comando mesg, Seção 10.19.

telnet

Permite acesso a um computador remoto. É mostrada uma tela de acesso correspondente ao computador local onde deve ser feita a autenticação do usuário para entrar no sistema. Muito útil, mas deve ser tomado cuidados ao disponibilizar este serviço para evitar riscos de segurança e usado o ssh sempre que possível por ser um protocolo criptografado e com recursos avançados de segurança.

telnet [opções] [ip/dns] [porta]

onde:

ip/dns

Endereço IP do computador de destino ou nome DNS.

porta

Porta onde será feita a conexão. Por padrão, a conexão é feita na porta 23.

opções
-8

Requisita uma operação binária de 8 bits. Isto força a operação em modo binário para envio e recebimento. Por padrão, telnet não usa 8 bits.

-a

Tenta um login automático, enviando o nome do usuário lido da variável de ambiente USER.

-d

Ativa o modo de debug.

-r

Ativa a emulação de rlogin.

-l [usuário]

Faz a conexão usando [usuário] como nome de usuário.

Exemplo: telnet 192.168.1.1, telnet 192.168.1.1 23.

time

Mede o tempo gasto para executar um processo (programa).

time [comando]

Onde: comando é o comando/programa que deseja medir o tempo gasto para ser concluído.

Exemplo: time ls, time find / -name crontab.

touch

Muda a data e hora que um arquivo foi criado. Também pode ser usado para criar arquivos vazios. Caso o touch seja usado com arquivos que não existam, por padrão ele criará estes arquivos.

touch [opções] [arquivos]

Onde:

arquivos

Arquivos que terão sua data/hora modificados.

opções
-t MMDDhhmm[ANO.segundos]

Usa Mês (MM), Dias (DD), Horas (hh), minutos (mm) e opcionalmente o ANO e segundos para modificação do(s) arquivos ao invés da data e hora atual.

-a, --time=atime

Faz o touch mudar somente a data e hora do acesso ao arquivo.

-c, --no-create

Não cria arquivos vazios, caso os arquivos não existam.

-m, --time=mtime

Faz o touch mudar somente a data e hora da modificação.

-r [arquivo]

Usa as horas no [arquivo] como referência ao invés da hora atual.

Exemplos:

  • touch teste - Cria o arquivo teste caso ele não existir.

  • touch -t 10011230 teste - Altera da data e hora do arquivo para 01/10 e 12:30.

  • touch -t 120112301999.30 teste - Altera da data, hora ano, e segundos do arquivo para 01/12/1999 e 12:30:30.

  • touch -t 12011200 * - Altera a data e hora do arquivo para 01/12 e 12:00.

traceroute

Mostra o caminho percorrido por um pacote para chegar ao seu destino. Este comando mostra na tela o caminho percorrido entre os Gateways da rede e o tempo gasto de retransmissão. Este comando é útil para encontrar computadores defeituosos na rede caso o pacote não esteja chegando ao seu destino.

traceroute [opções] [host/IP de destino]

Onde:

host/IP destino

É o endereço para onde o pacote será enviado (por exemplo, www.debian.org). Caso o tamanho do pacote não seja especificado, é enviado um pacote de 38 bytes.

opções
-l

Mostra o tempo de vida do pacote (ttl)

-m [num]

Ajusta a quantidade máximas de ttl dos pacotes. O padrão é 30.

-n

Mostra os endereços numericamente ao invés de usar resolução DNS.

-p [porta]

Ajusta a porta que será usada para o teste. A porta padrão é 33434.

-r

Pula as tabelas de roteamento e envia o pacote diretamente ao computador conectado a rede.

-s [end]

Usa o endereço IP/DNS [end] como endereço de origem para computadores com múltiplos endereços IPs ou nomes.

-v

Mostra mais detalhes sobre o resultado do traceroute.

-w [num]

Configura o tempo máximo que aguardará por uma resposta. O padrão é 3 segundos.

Exemplos: traceroute www.debian.org, traceroute www.guiafoca.org.

U

uname

Retorna o nome e versão do kernel atual.

uname

uptime

Mostra o tempo de execução do sistema desde que o computador foi ligado.

uptime

userdel

Apaga um usuário do sistema. Quando é usado, este comando apaga todos os dados da conta especificado dos arquivos de contas do sistema.

userdel [-r] [usuário]

Onde:

-r

Apaga também o diretório HOME do usuário.

OBS: Note que uma conta de usuário não poderá ser removida caso ele estiver no sistema, pois os programas podem precisar ter acesso aos dados dele (como UID, GID) no /etc/passwd.


Página: (Anterior)   1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos