Guia de Comandos


Guia de comandos linux baseado no Guia Foca



Navegar usando este índice

Especial | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Todos

Página: (Anterior)   1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos

L

last

Mostra uma listagem de entrada e saída de usuários no sistema. São mostrados os seguintes campos na listagem:

  • Nome do usuário

  • Terminal onde ocorreu a conexão/desconexão

  • O hostname (caso a conexão tenha ocorrido remotamente) ou console (caso tenha ocorrido localmente).

  • A data do login/logout, a hora do login/down se estiver fora do sistema/ still logged in se ainda estiver usando o sistema

  • Tempo (em Horas:Minutos) que esteve conectado ao sistema.

A listagem é mostrada em ordem inversa, ou seja, da data mais atual para a mais antiga. A listagem feita pelo last é obtida de /var/log/wtmp.

last [opções]

Onde:

opções
-n [num]

Mostra [num] linhas. Caso não seja usada, todas as linhas são mostradas.

-R

Não mostra o campo HostName.

-a

Mostra o hostname na última coluna. Será muito útil se combinada com a opção -d.

-d

Usa o DNS para resolver o IP de sistemas remotos para nomes DNS.

-x

Mostra as entradas de desligamento do sistema e alterações do nível de execução do sistema.

O comando last pode ser seguido de um argumento que será pesquisado como uma expressão regular durante a listagem.

O comando last usa o arquivo /var/log/wtmp para gerar sua listagem, mas alguns sistemas podem não possuir este arquivo. O arquivo /var/log/wtmp somente é usado caso existir. Você pode cria-lo com o comando "echo -n >/var/log/wtmp" ou touch /var/log/wtmp.

  • last - Mostra a listagem geral

  • last -a - Mostra a listagem geral incluindo o nome da máquina

  • last gleydson - Mostra somente atividades do usuário gleydson

  • last reboot - Mostra as reinicializações do sistema

  • last tty1 - Mostra todas as atividades no tty1

lastlog

Mostra o último login dos usuários cadastrados no sistema. É mostrado o nome usado no login, o terminal onde ocorreu a conexão e a hora da última conexão. Estes dados são obtidos através da pesquisa e formatação do arquivo /var/log/lastlog. Caso o usuário não tenha feito login, é mostrada a mensagem ** Never logged in **

lastlog [opções]

Onde:

opções
-t [dias]

Mostra somente os usuários que se conectaram ao sistema nos últimos [dias].

-b [dias]

Mostra somente os usuários que se conectaram antes de [dias].

-u [nome]

Mostra somente detalhes sobre o usuário [nome].

A opção -t substitui a opção -u caso sejam usadas.

less

Permite fazer a paginação de arquivos ou da entrada padrão. O comando less pode ser usado como comando para leitura de arquivos que ocupem mais de uma tela. Quando toda a tela é ocupada, o less efetua uma pausa (semelhante ao more) e permite que você pressione Seta para Cima e Seta para Baixo ou PgUP/PgDown para fazer o rolamento da página. Para sair do less pressione q.

less [arquivo]

Onde: arquivo É o arquivo que será paginado.

Para visualizar diretamente arquivos texto compactados pelo utilitário gzip (arquivos .gz), use o comando zless.

Exemplos: less /etc/passwd, cat /etc/passwd|less

ln

Cria links para arquivos e diretórios no sistema. O link é um mecanismo que faz referência a outro arquivo ou diretório em outra localização. O link em sistemas GNU/Linux faz referência reais ao arquivo/diretório podendo ser feita cópia do link (será copiado o arquivo alvo), entrar no diretório (caso o link faça referência a um diretório), etc.

ln [opções] [origem] [link]

Onde:

origem

Diretório ou arquivo de onde será feito o link.

link

Nome do link que será criado.

opções
-s

Cria um link simbólico. Usado para criar ligações com o arquivo/diretório de destino.

-v

Mostra o nome de cada arquivo antes de fazer o link.

-d

Cria um hard link para diretórios. Somente o root pode usar esta opção.

Existem 2 tipos de links: simbólicos e hardlinks.

  • O link simbólico cria um arquivo especial no disco (do tipo link) que tem como conteúdo o caminho para chegar até o arquivo alvo (isto pode ser verificado pelo tamanho do arquivo do link). Use a opção -s para criar links simbólicos.

  • O hardlink faz referência ao mesmo inodo do arquivo original, desta forma ele será perfeitamente idêntico, inclusive nas permissões de acesso, ao arquivo original.

    Ao contrário dos links simbólicos, não é possível fazer um hardlink para um diretório ou fazer referência a arquivos que estejam em partições diferentes.

Observações:

  • Se for usado o comando rm com um link, somente o link será removido.

  • Se for usado o comando cp com um link, o arquivo original será copiado ao invés do link.

  • Se for usado o comando mv com um link, a modificação será feita no link.

  • Se for usado um comando de visualização (como o cat), o arquivo original será visualizado.

Exemplos:

  • ln -s /dev/ttyS1 /dev/modem - Cria o link /dev/modem para o arquivo /dev/ttyS1.

  • ln -s /tmp ~/tmp - Cria um link ~/tmp para o diretório /tmp.

logname

Mostra seu login (username).

logname

ls

Lista os arquivos de um diretório.

ls [opções] [caminho/arquivo] [caminho1/arquivo1] ...

onde:

caminho/arquivo

Diretório/arquivo que será listado.

caminho1/arquivo1

Outro Diretório/arquivo que será listado. Podem ser feitas várias listagens de uma só vez.

opções
-a, --all

Lista todos os arquivos (inclusive os ocultos) de um diretório.

-A, --almost-all

Lista todos os arquivos (inclusive os ocultos) de um diretório, exceto o diretório atual e o de nível anterior.

-B, --ignore-backups

Não lista arquivos que terminam com ~ (Backup).

--color=PARAM

Mostra os arquivos em cores diferentes, conforme o tipo de arquivo. PARAM pode ser:

  • never - Nunca lista em cores (mesma coisa de não usar o parâmetro --color).

  • always - Sempre lista em cores conforme o tipo de arquivo.

  • auto - Somente colore a listagem se estiver em um terminal.

-d, --directory

Lista os nomes dos diretórios ao invés do conteúdo.

-f

Não classifica a listagem.

-F

Insere um caracter após arquivos executáveis ('*'), diretórios ('/'), soquete ('='), link simbólico ('@') e pipe ('|'). Seu uso é útil para identificar de forma fácil tipos de arquivos nas listagens de diretórios.

-G, --no-group

Oculta a coluna de grupo do arquivo.

-h, --human-readable

Mostra o tamanho dos arquivos em Kbytes, Mbytes, Gbytes.

-H

Faz o mesmo que -h, mas usa unidades de 1000 ao invés de 1024 para especificar Kbytes, Mbytes, Gbytes.

-l

Usa o formato longo para listagem de arquivos. Lista as permissões, data de modificação, donos, grupos, etc.

-n

Usa a identificação de usuário e grupo numérica ao invés dos nomes.

-L, --dereference

Lista o arquivo original e não o link referente ao arquivo.

-o

Usa a listagem longa sem os donos dos arquivos (mesma coisa que -lG).

-p

Mesma coisa que -F, mas não inclui o símbolo '*' em arquivos executáveis. Esta opção é típica de sistemas Linux.

-R

Lista diretórios e sub-diretórios recursivamente.

--full-time

Lista data e hora completa.

Classificação da listagem

A listagem pode ser classificada usando-se as seguintes opções:

-f

Não classifica, e usa -au para listar os arquivos.

-r

Inverte a ordem de classificação.

-c

Classifica pela data de alteração.

-X

Classifica pela extensão.

-U

Não classifica, lista os arquivos na ordem do diretório.

-Z

Exibe o contexto SELinux de cada arquivo.

Uma listagem feita com o comando ls -la normalmente é mostrada da seguinte maneira:

     -rwxr-xr--  1  gleydson user    8192 nov 4 16:00 teste

Abaixo as explicações de cada parte:

-rwxr-xr--

São as permissões de acesso ao arquivo teste. A primeira letra (da esquerda) identifica o tipo do arquivo, se tiver um d é um diretório, se tiver um "-" é um arquivo normal.

1

Se for um diretório, mostra a quantidade de sub-diretórios existentes dentro dele. Caso for um arquivo, será 1.

gleydson

Nome do dono do arquivo teste.

user

Nome do grupo que o arquivo teste pertence.

8192

Tamanho do arquivo (em bytes).

nov

Mês da criação/ última modificação do arquivo.

4

Dia que o arquivo foi criado.

16:00

Hora em que o arquivo foi criado/modificado. Se o arquivo foi criado há mais de um ano, em seu lugar é mostrado o ano da criação do arquivo.

teste

Nome do arquivo.

Exemplos do uso do comando ls:

  • ls - Lista os arquivos do diretório atual.

  • ls /bin /sbin - Lista os arquivos do diretório /bin e /sbin

  • ls -la /bin - Listagem completa (vertical) dos arquivos do diretório /bin inclusive os ocultos.

lsattr

Lista atributos de um arquivo/diretório. Os atributos podem ser modificados através do comando chattr.

lsattr [opções] [arquivos/diretórios]

Onde:

arquivos/diretórios

Arquivos/diretórios que deseja listar os atributos. Podem ser usados curingas.

opções
-a

Lista todos os arquivos, incluindo ocultos (iniciando com um ".").

-d

Lista os atributos de diretórios ao invés de listar os arquivos que ele contém.

-R

Faz a listagem em diretórios e subdiretórios.

-v

Mostra versões dos arquivos.

Caso seja especificado sem parâmetros, o lsattr listará os atributos de todos os arquivos e diretórios do diretório atual. O lsattr mostrará mensagens de erro caso seja usado em um diretório de pontos de montagem ou arquivos que não sejam ext2.

Exemplo: lsattr -d, lsattr -R, lsattr -R *.txt

M

mesg

Permite ou não o recebimentos de requisições de talk de outros usuários.

mesg [y/n]

Onde: y permite que você receba "talks" de outros usuários.

Digite mesg para saber se você pode ou não receber "talks" de outros usuários. Caso a resposta seja "n" você poderá enviar um talk para alguém mas o seu sistema se recusará em receber talks de outras pessoas.

É interessante colocar o comando mesg y em seu arquivo de inicialização .bash_profile para permitir o recebimento de "talks" toda vez que entrar no sistema.

mkdir

Cria um diretório no sistema. Um diretório é usado para armazenar arquivos de um determinado tipo. O diretório pode ser entendido como uma pasta onde você guarda seus papeis (arquivos). Como uma pessoa organizada, você utilizará uma pasta para guardar cada tipo de documento, da mesma forma você pode criar um diretório vendas para guardar seus arquivos relacionados com vendas naquele local.

mkdir [opções] [caminho/diretório] [caminho1/diretório1]

onde:

caminho

Caminho onde o diretório será criado.

diretório

Nome do diretório que será criado.

opções:
-p

Caso os diretórios dos níveis acima não existam, eles também serão criados.

--verbose

Mostra uma mensagem para cada diretório criado. As mensagens de erro serão mostradas mesmo que esta opção não seja usada.

Para criar um novo diretório, você deve ter permissão de gravação. Por exemplo, para criar um diretório em /tmp com o nome de teste que será usado para gravar arquivos de teste, você deve usar o comando "mkdir /tmp/teste".

Podem ser criados mais de um diretório com um único comando (mkdir /tmp/teste /tmp/teste1 /tmp/teste2).

more

Permite fazer a paginação de arquivos ou da entrada padrão. O comando more pode ser usado como comando para leitura de arquivos que ocupem mais de uma tela. Quando toda a tela é ocupada, o more efetua uma pausa e permite que você pressione Enter ou espaço para continuar avançando no arquivo sendo visualizado. Para sair do more pressione q.

more [arquivo]

Onde: arquivo É o arquivo que será paginado.

Para visualizar diretamente arquivos texto compactados pelo gzip .gz use o comando zmore.

Exemplos: more /etc/passwd, cat /etc/passwd|more.


Página: (Anterior)   1  2  3  4  5  6  7  8  (Próximo)
  Todos